sábado, 4 de abril de 2009

Adult Basic Life Support (BLS) - Suporte Básico de Vida do Adulto


De acordo com os guidelines da American Heart Association (AHA) publicados no periódico Circulation em 2005, o Suporte básico de vida (BLS) pode ser realizado por qualquer pessoa, preferencialmente aquele que identifica a parada cardiorrespiratória súbita (PCR) no ambiente extra-hospitalar. É baseada nos 4 elos da corrente: o Acesso precoce ao serviço de emergência (no Brasil, pelos telefones 192 e 193), a ressuscitação cardiopulmonar precoce, a desfibrilação precoce (em menos de 5 minutos) e os cuidados avançados (ACLS - Suporte avançado de vida) precoces.

Para ressaltar a importância do BLS, alguns dados:
- A incidência no Brasil é de 748 PCR's por dia no Brasil!
- A desfibrilação realizada em menos de 8 minutos aumenta em 3x a chance de sobrevida da vítima.
- Um paciente em PCR tem 85% de chance de estar em fibrilação ventricular.
- Cada minuto de atraso do desfibrilador, há 10% mais chance de morte.
- Nos primeiros 4 minutos, a chamada fase "elétrica" da fibrilação ventricular, a chance de recuperação pode chegar a 60%.
- A fase "circulatória", definida como após 5 minutos da PCR, ou após o primeiro choque, o coração já sofre hipóxia, é o chamado coração "azul".
- Fase metabólica: dano cerebral, hipoxemia, acidose metabólica.
- O que é mais importante: a ventilação ou as compressões torácicas? AS COMPRESSÕES EFETIVAS. São 30 compressões de QUALIDADE (ou seja, que produzam débito cardíaco, volume sistólico) para 2 ventilações, com freqüência de 100 compressões por minuto, até o desfibrilador chegar!
- Não se transporta a vítima em PCR! DESFIBRILE NO LOCAL.
- O que é uma compressão efetiva? O tórax tem que ser comprimido com uma depressão de 4-5 cm no sentido antero-posterior e deve OBRIGATORIAMENTE voltar à posição anterior.
- Onde se comprime? No centro do tórax, na região intermamária.
- Qual o grande exemplo de programa mundial efetivo? O Chicago HeartSave Program, do Aeroporto de Chicago, com 59% de sobrevivência, comparado a 2% da cidade de Chicago.
- Qual o maior problema? Segundo Becker et al (1998), 84% das PCR's acontecem dentro de casa, o que diminui a chance de sobrevida.

Acesso:
1- Determine a ausência de resposta
2- CHAME AJUDA (COM DESFIBRILADOR). É SEMPRE A PRIMEIRA MEDIDA.
3- Abertura das vias aéras (chin lift)
4- Determine a ausência de respiração ou gasp* (ver o tórax/ouvir e sentir a respiração)
*A presença de gasp dobra a chance de alta do paciente!
5- Ventilação - cuidado com a HIPERVENTILAÇÃO - não respire fundo. A ventilação tem que durar 1 segundo. 
6 - Após ventilar 2 vezes, checar o pulso - NÃO GASTE MAIS QUE 10 SEGUNDOS.
7 - LEIGO NÃO CHECA PULSO. NÃO ACHOU? COMPRIMA O TÓRAX!
8 - NÃO INTERROMPA AS COMPRESSÕES. TROQUE A CADA 2 MINUTOS ou 5 CICLOS.
9- LEMBRE-SE: 30 COMPRESSÕES:2 VENTILAÇÕES.
10- Nas gestantes, desvie o útero para a ESQUERDA.
11- HANDS ONLY - Estudos novos tem feito a recomendação de manter somente as compressões torácicas. 
12 - Para descompressão: tórax SECO e LIMPO. Coloque as pás do desfibrilador ENQUANTO faz as compressões.
13 - Só interrompa as compressões quando a pessoa que for dar o choque falar: AFASTE-SE.
14 - Esta pessoa será a responsável pela segurança dos socorristas.
15 - A DESFIBRILAÇÃO RÁPIDA é MAIS IMPORTANTE que o Suporte avançado de vida.
16 - Chegou depois de cinco minutos de PCR? Faça primeiro a RCP (pelo menos 2 minutos), depois a desfibrilação.
17- Minimize as interrupções. Mantenha a calma. Não transporte a vítima. Fale somente o necessário. Não grite. Siga as ordens do líder.


Um comentário:

  1. Quer dizer que se alguém passasse mal assim na minha frente eu ia ter que saber isso aí e tentar salvar!?
    Se eu tentasse errado eu não ia piorar a situação não?
    Marras.

    ResponderExcluir