quinta-feira, 23 de julho de 2009

Novos critérios de insuficiência renal aguda

A insuficiência renal aguda (IRA), ou lesão renal aguda, classicamente é definida como a perda súbita da função renal que resulta em retenção de uréia e outras escórias nitrogenadas e no desequilíbrio no controle do volume extracelular e da homeostase hidroeletrolítica.
Os estudos que procuraram investigar a epidemiologia, o tratamento e a prevenção da insuficiência renal utilizaram definições laboratoriais heterogêneas, o que prejudicou a análise dos trabalhos e motivou um grupo de médicos intensivistas e nefrologistas a se reunirem no grupo ADQI (Acute Dialysis Quality Initiative) para o desenvolvimento de diretrizes e consensos baseados em evidência para o tratamento e prevenção da IRA, com uma definição específica e universalizada de lesão renal aguda, chamada de critério RIFLE. Este critério, porém, já sofreu modificações, propostas pela Acute Kidney Injury Network, e será descrido a seguir.

Critério RIFLE

- Consiste em 3 níveis graduados de lesão renal (RIFLE = RISK, INJURY AND FAILURE) e 2 medidas de desfecho (LOSS and END-STAGE RENAL FAILURE)

1) RISK (Risco) = aumento em 1,5x na creatinina sérica ou decréscimo de 25% na taxa de filtração glomerular ou débito urinário menor que 0,5 mL/kg/h por 6 horas; (Risco de morte 2,4x maior);
2) INJURY (Lesão) = aumento em 2,0x na creatinina sérica ou decréscimo de 50% na taxa de filtração glomerular ou débito urinário menor que 0,5 mL/kg/h por 12 horas; (Risco de morte 4,15x maior);
3) FAILURE (Insuficiência) = aumento em 3x na creatinina sérica ou decréscimo de 75% na taxa de filtração glomerular ou débito urinário menor que 0,5 mL/kg/h por 24h ou anúria por 12h; (Risco de morte 6,17x maior);
4) LOSS (Perda de função) = Perda completa da função renal (ie.: necessidade de terapia de reposição renal) por mais de 4 semanas;
5) END-STAGE RENAL DISEASE (doença renal em estágio terminal): Perda completa da função renal (ie.: necessidade de terapia de reposição renal) por mais de 3 meses;

Problemas com os critérios RIFLE:

1) Os níveis de creatinina, TFG e débito urinário são "aleatórios", não baseados em evidência. Em um estudo, a creatinina era um bom preditor de mortalidadena UTI, porém isso não se repetia quando se analisava o débito urinário.
2) As mudanças na creatinina sérica durante um episódio de IRA não se correlacionam bem com a taxa de filtração glomerular.
3) É impossível calcular o risco do paciente, se não houver uma medida basal de creatinina prévia.

Critérios AKIN (Acute Kidney Injury Network)

Uma modificação foi proposta em alguns dos critérios RIFLE pela rede AKIN em 2007 no periódico Critical Care e é demonstrada na tabela abaixo.
Para mais informações, consulte o artigo original da Acute Renal Injury Network no seguinte link: Mehta et al. Acute Kidney Injury Network: report of an initiative to improve outcomes in acute kidney injury. Critical Care 2007;11:R31.

Um comentário:

  1. Olá Pedro td bom??? Sou do RJ e por coincidencia estou começando a fazer minha monografia que é sobre esse tema que vc esta falando aki.... queria saber se vc pode me ajudar c mais alguma coisa que vc tenha lidoo, achei mto pouca coisa falando sobre isso!!!
    Mto obrigada desde já pela ajuda e se precisar de alguma coisa por aki por essas bandas tb estamos aí!!
    Meu e-mail eh natimartinsrj@yahoo.com.br
    Um abraço Natalia

    ResponderExcluir